segunda-feira, 24 de abril de 2017

e assim vai o mundo / And so goes the world

Sentado estou a pensar que ainda nada está acabado nesta longa busca de um inspiração quase convertida em religião mas que é contra a propagadizassão de rituais de regime celibatarismo e balístico,como o caso de religiões de cultos pouco credíveis que nos levam a crer em algo pouco credível em que a matéria é a conquista de adversários pelas formas mais atrozes alguma vezes imaginados por pessoas como eu ou tu.
Relembro quando andava na escola e nas aulas de historia era divulgado os sistemas de tortura há busca de uma verdade crida pelas fações pouco humanas.
E não sei por que,mas sinto-me longe dessas conversões algo duvidosas por parte de pessoas com conversas charlatarias que nos tentam convencer em algo pouco porvavel de se ver.
E assim vai o mundo em que vivemos,na guerra tribal de convenções algo duvidosas mas que abrangem milhões de seres humanos que muitos deles inocentes e com a sua pouca instrução são levados a atos pouco ou nada semelhantes com a verdade que é transmitida nas redes de comunicação social.
Eu não abro guerras com ninguém sou um homem livre que vive só com a obrigação de ser um cidadão digno do meu pais.

Esta conversa todo para afirmar o meu repudio a essas crenças que impõe algo pouco... não tenho palavra a não ser que essa religiões na sua base filosófica transmitem o culto do egoismo..


Seated I am thinking that nothing is yet finished in this long search for an inspiration almost converted into religion but that is against the propagadisassisted ritual celibatarism and ballistic, as the case of religions of unbelievable cults that lead us to believe in something little Credible in that matter is the conquest of adversaries by the most atrocious forms sometimes imagined by people like you or me.
I remember when I was in school and in history classes, the systems of torture were divulged, there is a search for a truth believed by the little human factions.
And I do not know why, but I feel far from these somewhat dubious conversions on the part of people with charlatan conversations who try to convince us something unlikely to see.
And so goes the world we live in, in the tribal war of somewhat doubtful conventions but which encompass millions of human beings who many of them innocent and with their little education are led to acts little or nothing like the truth that is transmitted in the networks of Social Communication.
I do not open wars with anyone I am a free man living alone with the obligation to be a citizen worthy of my country.
This whole conversation to affirm my repudiation of these beliefs that imposes something little ... I have no word unless these religions in their philosophical base convey the cult of selfishness.